terça-feira, 6 de janeiro de 2009

À DESCOBERTA DA HISTÓRIA- ACTIVIDADE DINAMIZADA PELO PROFESSOR LUÍS OLIVEIRA

Álvaro Magalhães


«Quando for grande, não quero ser médico, engenheiro ou professor. Não quero trabalhar de manhã à noite, seja no que for. Quero brincar de manhã à noite, seja com o que for. Quando for grande, quero ser um brincador.»

Assim se apresenta o escritor Álvaro Magalhães, que aos 25 anos de vida literária juntou a poemas inéditos alguns dos seus melhores antigos, ilustrou-os com desenhos de José de Guimarães e publicou-os em edição comemorativa da ASA. A mesma editora deu à estampa a série de aventuras Triângulo Jota e outros tantos dos seus escritos para crianças e jovens em vários géneros, do conto ao texto dramático.

Álvaro Magalhães nasceu no Porto, em 1951. Começou por publicar poesia no início dos anos 80 e, em 1982, publicou História com muitas Letras – o primeiro livro para crianças. Desde então construiu uma obra singular e diversificada, com mais de três dezenas de títulos entre os quais se encontra poesia, teatro, crónicas e traduções.

Nas suas obras para a infância reina a força do imaginário e da palavra, a medida mágica da existência e o sonho como «factores de modelação do ser».

Foi várias vezes premiado pela Associação Portuguesa de Escritores e pelo Ministério da Cultura. Em 2001 o livro Hipopóptimos – Uma História de Amor foi seleccionado para integrar o Projecto BARFIE (Books and Reading For Intercultural Education), que visa a construção de uma biblioteca europeia de obras de reconhecida importância para a promoção da educação intercultural.

http://www.instituto-camoes.pt/cvc/livros/1075.html



O melhor conto do jovem Hans Christian Andersen, contado por Álvaro Magalhães.

“ (…) de repente, começou a nevar dentro daquela sala(…) vieram dois ladrões, (…) o alfaiate gritou muito alto, um grito horrível, como se tivessem acabado de lhe arrancar a alma.”


À DESCOBERTA DA HISTÓRIA




PERGUNTA DO MÊS DE JANEIRO:




Indica o título do livro de Álvaro Magalhães que recebeu o Grande Prémio Calouste Gulbenkian de Literatura para Crianças e Jovens de 2002.



Em O Rapaz do Espelho, um texto de Álvaro Magalhães ilustrado por José Miguel Ribeiro, é-nos relatado o melhor conto do jovem Hans Christian Andersen.
Certa noite de Verão, em Odense, na Dinamarca, o jovem Hans Christian Andersen, então com onze anos, reparou que estava a nevar em casa do vizinho alfaiate; e não era uma partida da sua imaginação. O que seria, então?

Soube-se, depois, que o misterioso Senhor das Neves encomendara um manto ao alfaiate e, como ele não ficou pronto a tempo, zangou-se e levou-lhe a alma.
Foi assim que Hans partiu em busca do reino do Senhor das Neves, algures no Lado de Lá, para entregar o manto acabado de fazer e recuperar a alma do alfaiate.

O Lado de Lá… Tudo tem um outro lado, mas são poucos o que acreditam nele e menos ainda os que o conseguem alcançar. Hans acaba de lá chegar; e o seu melhor conto, porque foi vivido, vai começar. Não chega imaginar, é preciso viver.

Mas é a ele ou ao outro, o rapaz do espelho, que tudo isso está a acontecer?






Um comentário:

Anônimo disse...

Hello! I'm newbie in Internet, can you give me some useful links? I know only about Yahoo [url=http://yahoo.com]Yahoo[/url] http://yahoo.com Yahoo